Curso de italiano + estágio em Roma/Trabalho/Recém Formado em Arquitetura

1

Já acompanhei alguns tópicos no site e é curioso como existem equívocos principalmente por quem está no Brasil ainda e pensa em ir para a Itália. Acho que a maior “dica/sugestão/conselho” que pude tirar de todos os comentários são: autoconhecimento e planejamento.
Eu sou muito pé no chão nesse sentido. Não estou buscando respostas prontas para minhas dúvidas, de qual emprego é mais fácil conseguir, qual a melhor cidade para morar, às vezes inclusive perguntas sobre como conseguir documentos, etc. Acho que o primeiro passo para se tomar uma decisão difícil dessas é pesquisa, pesquisa, pesquisa e planejamento.

Minha situação é a seguinte, sou recém formado em Arquitetura e Urbanismo, atualmente trabalho com vendas no setor de decoração (mais precisamente com papeis de paredes, persianas e cortinas). Enquanto ainda estava na faculdade tive a oportunidade de fazer um intercâmbio acadêmico em Roma. Fiquei 1 ano, fiz curso de italiano (cheguei sem saber quase nada e saí com um nível intermediário), aprendi bastante da cultura, infelizmente não fiz praticamente nada de contato com italianos, pois estávamos em muitos brasileiros – sim, maior erro) e quero voltar para ficar de vez. Como não tenho muito conquistado aqui (profissionalmente) eu acredito que não estaria abrindo mão de MUITO também para arriscar, eu estaria na realidade tentando um novo começo, que PARA MIM acredito que vai ser muito melhor do que o atual.

O plano é: voltar para Roma com condições de me manter por pelo 4 meses (euro a R$4,00 :o). Neste período, planejo retomar um curso de italiano por + ou – 1 mês e fazer + 3 meses de estágio em alguma empresa (sim, existem escolas de línguas com programas de estágio profissional para estrangeiros em vários setores), aliados a um curso de italiano para melhorar o meu. Deste modo, eu poderia retirar o “visto per motivi di studio – tirocinio” que, pelo que pesquisei, é passível de ser transformado em “visto per lavoro”, coisa que o visto de turista não permite.

Montei uma planilha com todos os gastos, desde passagens, supermercado, transporte, seguro saúde, visto, permesso, etc. Já cheguei em valores reais do quanto esta empreitada me tomaria financeiramente, pela minha previsão eu terei o suficiente no início de 2018. Como já morei em Roma, tenho conhecimento mais preciso de quanto eu gastaria com todas as despesas.

A ideia seria durante este período de estágio, adquirir uma certa “experiência” em algum setor (super possível no ramo que já trabalho no Brasil) e ir em busca de emprego, relacionado nesta área (ou não). Bater de porta em porta (assim como fiz com meu atual emprego), procurando pelo gerente, me apresentando e entregando currículos. O importante é não ter orgulho. O que planejo, na realidade, é de repente conseguir o mesmo emprego que tenho aqui, lá, que é um trabalho com vendas/decoração. Não é exigida nenhuma qualificação, mas o fato de você ter te diferencia dos demais vendedores – sinto isso aqui em Minas, quem dirá lá.

Portanto, gostaria de saber se alguém já teve alguma experiência parecida, ou de algum conhecido; se, dadas as circunstâncias atuais de incertezas econômicas seria um método com maior probabilidade de sucesso; ou se alguém está na mesma situação, com as mesmas intenções e planos.
Acho que seria bacana esta discussão, porque procurei e não encontrei nenhum tópico com esta abordagem.

Comments

comments

1 RESPOSTA

  1. Olá! Muito interessante seus questionamentos! Há um ano atrás conheci um brasileiro com pensamentos e planejamentos similares aos seus e hoje ele tá trabalhando, inclusive conseguiu trazer a esposa e filha.É claro, que se tiver ajuda de alguém aqui será mais fácil. Porém a determinação conta muito. Segundo minha opinião você tá no caminho certo, más se chegar aqui com um nivél do italiano bom fará toda diferência. Se desejar trocar experiência:ana_darquedelf@hotmail.com. Boa sorte!

Se você sabe, responda:

Please enter your comment!
Please enter your name here